Sustentabilidade e modelo de negócios

Publicação original disponível em: Designing Circular Business Models: From Ideation to Implementation, January 27, 2021

Vemos cada vez mais empresas buscando formas de inovar seus modelos de negócios de forma a criar alternativas mais sustentáveis. E, para essa atuação, uma das alternativas possíveis é implementar um ecossistema circular que resolva um problema socioambiental ao mesmo tempo em que oferece uma proposta de valor atraente para seus próprios clientes. 

Em 2020 a WaM se tornou signatária do Pacto Global da ONU, se propondo a articular iniciativas de inovação com grandes empresas, trabalhando junto a estas para pensar em inovação como um meio e sustentabilidade como fim.

No artigo a seguir, publicado pelo BMI Lab, apresentamos um estudo sobre as possibilidades de modelos de negócio pensados para um ecossistema de economia circular, desde a geração de novas ideias  à implementação.

Confira a seguir! 

Modelos para o desenvolvimento de um ecossistema circular

Um modelo foi desenvolvido com base na análise de mais de 200 empresas sustentáveis de sucesso, em cooperação com a Universidade de St. Gallen. Ele categoriza quatro tipos de modelos cruciais para a criação de um ecossistema circular. Juntos, esses quatro pilares permitem moldar uma oferta financeiramente valiosa e atraente, ao mesmo tempo em que alcançam ciclos de recursos sustentáveis. 

São elas: 

  • Feche o ciclo: o que torna a solução circular? Reutilizar produtos, mas também criar produtos que possam voltar a entrar com segurança na biosfera.
  • Melhore o ciclo: Circularidade por si só não significa que a solução seja sustentável (pense em efeitos de rebote). Com esta categoria, são apresentados padrões sustentáveis ​​que melhoram o loop. Isso pode variar desde aumentar a longevidade do produto, torná-lo mais eficiente, aumentar sua funcionalidade (tornar outros produtos desnecessários) ou diminuir a quantidade de produtos em uso.
  • Rentabilize o ciclo: Existem muitas formas de rentabilizar soluções circulares. O objetivo é sempre encontrar uma solução atrativa para o cliente que garanta simultaneamente a recuperação dos produtos. A questão então é como os parceiros do ecossistema trabalharão juntos, como o valor pode ser criado para todos eles e como o modelo de receita pode ser projetado em toda a cadeia de valor.
  • Estimule o ciclo: por último, mas não menos importante, sempre tenha os clientes em mente. Incentive-os criando soluções envolventes e que ofereçam uma proposta de valor atraente – pense em opções como serviços adicionais, transparência ou plataformas.

A empresa deve, fundamentalmente, idealizar novas propostas de valor e mecanismos de criação de valor ao longo de um ecossistema circular. Dois métodos de ideação podem ser distinguidos – o método estruturado e o não estruturado. Para a ideação estruturada, você começa gerando ideias a partir dos padrões do primeiro pilar e, consequentemente, passa pelos demais. Este método é mais gerenciável para os participantes, mas cria uma dependência de caminho, pois certos padrões do último padrão não são aplicáveis ​​às ideias que você criou a partir das categorias anteriores.

Usando o método não estruturado, todas as soluções são basicamente o resultado de um brainstorming de estilo livre. Isso é benéfico devido à flexibilidade e ajustabilidade, no entanto, é significativamente mais exigente para os participantes.

É necessário muito tempo para projetar e ajustar o modelo de negócios em alinhamento com a solução e o ecossistema previstos. Uma abordagem sistemática ajuda a lidar melhor com a complexidade – tenha um grande plano, mas realize a solução passo a passo.

___

Um exemplo prático de iniciativas criadas com estes modelos é o Inovadoria, um projeto de inovação aberta que tem o objetivo de promover a economia circular a partir da união entre a Leroy Merlin e a Danone.

Conheça mais sobre o projeto em: Inovadoria: como a LEROY MERLIN e a Danone se uniram para impactar o meio ambiente? ou entre em contato conosco!